dezembro 23, 2006

O MEU PRESENTE DO ANO





Entre os minutos que recebi a obra MAPUTO BLUES* através da editora Ndjira, fui folhando enquanto aguardava a chapa que pudesse me transportar para os meus aposentos. Num folhar aleatório, me concentro nas páginas 14 e 15, um poema dedicado ao Zé Flávio Teixeira “ Marrabenta para Fanny Mpfumo”.

Verso a verso, vou me familiarizando com a temática do autor. Tento rebuscar no meu acervo, os poucos registos que tenho sobre Fanny Mpfumo e de seguida salto para casa do vizinho para convence-lo a tocar os temas descritos no poema.

Vizinho alegre, imagina de imediato uma passada (que também gosto de ver pessoas a dançar), imagina num Reggae que geralmente culmina com uma cerveja...nada disso, oiço um Blues A WA SATI VALOMO tema de Fanny Mpfumo interpretado por Salimo Muhamad, ex-Simião Mazuze. Do canto da cozinha ouço o grito da dona Madalena, a mãe do simpático vizinho... repita por favor, são músicas do meu tempo. Sinto o rejuvenescer da memória da Dona Madalena. Emocionado tento com a minha voz desafinada declamar o poema que me levou a casa do vizinho “ Marrabenta para Fanny Mpfumo” (pag. 14 e 15 - Maputo Blues ), dou uma tonalidade de aprendiz curioso em recital de poesia, colocando uma voz rouca nos nomes dos músicos e os respectivos temas. Do outro lado o som da loiça desaparece, ficando apenas o agradável cheiro de amendoim que dominava a sala de visita onde rolava o disco vinil de 45 rotações, num gira disco que o vizinho contava suas tristeza e alegrias movimentado pelo som daquele “Gumba-Gumba” aguardava ordens na reserva.

Em cada verso declamado, dona Madalena improvisava uma melodia, destacando em viva voz os temas de João Wate, Alexandre Langa, Fanny Mpfumo e João Domingos.

Minutos depois, tia Madalena contou o seu passado das “farras” na então Lourenço Marques, cujo citadinos era apelidados por laurentinos...uma saudade revivida graças as composições que pude pedir ao filho para escutar em sua casa, contudo tenho que agradecer a sua “Matapa” que concetrou o meu estômago e automaticamente tinha que repitir as composições do passado que alegram o presente.

Com Maputo Blues conquistei amizade da tia Madalena.


*Maputo Blues (Poesia), autor Nelson Saúte, lançado recentemente em Maputo pela editora Ndjira.

4 comentários:

Anónimo disse...

que belo texto.

Anónimo disse...

Oi Pota, levaste-me a viajar com este texto.
Abraco.

Almeida Ngoca

Maisha disse...

obrigado pela Força Almeida Ngoca.

Pota

Ricardo disse...

Vou tentar importar este livro do Nelson Saúte? A curiosidade aumenta cada vez mais...
Grande abraço!!!